Mais players optam pelo investimento em Portugal

Ana Tavares |
Mais players optam pelo investimento em Portugal

 

Esta é uma das principais conclusões do “Portuguese Real Estate Investment Survey”, da Deloitte, segundo o qual o ano passado «ficou marcado pelo aumento tanto do volume como dos preços de venda dos imóveis», com destaque para o setor residencial, comercial e hoteleiro, «aliado a uma maior estabilização das taxas de rentabilidade».

Este inquérito mostra que 29% dos inquiridos optou pela estratégia de investimento no 1º trimestre do ano, passando esta percentagem para 36% no 4º trimestre. É seguida pela estratégia de gestão de portfólio, que representa também 36% das opções no último trimestre do ano, e pelo desinvestimento, que registou uma quebra, passando de 33% no 1º trimestre para 28% no final do ano.

Jorge Marrão, Partner e Real Estate Leader da Deloitte, comenta que «o crescimento do setor imobiliário em Portugal é bastante visível. O aumento da oferta, do investimento estrangeiro e a entrada de novos players no mercado nacional, têm dado uma nova vida ao setor. O impacto que cada um destes fatores tem gerado no incremento dos preços das transações e na estabilidade das taxas de rendibilidade é notório».

Os Fundos de Fundos destacaram-se enquanto principal investidor imobiliário em Portugal, com as Seguradoras a aumentar o seu peso. A origem dos investidores foi maioritariamente europeia e asiática.

 

“Value added” são os ativos com maior potencial

No que concerne a estratégia de investimento imobiliário, no ano passado, foram os ativos “value added” que mostraram ter maior potencial para investimento, seguidos dos ativos “core”.

Financiamento e processos de compra ficaram, no geral, mais fáceis. Segundo os inquiridos pela Deloitte, «houve uma maior facilidade na captação de fundos e uma redução na duração dos processos de aquisição de ativos». A banca foi a principal fonte de financiamento para aquisições imobiliárias, sendo que a origem do capital foi maioritariamente europeia e norte-americana.

Por outro lado, os ativos core continuaram a ser alvo de maior desinvestimento por parte dos profissionais do setor, que consideram que houve uma estabilização na captação de fundos, e uma redução na duração dos processos de alienação dos ativos.

 

Volume e preços de transação vai continuar a aumentar

Em 2018, o investimento continuará a ter um impacto significativo no mercado. 90% dos inquiridos consideram que as variáveis “oferta” e “investimento estrangeiro” irão gerar maior impacto positivo no setor.

É também esperado um aumento do volume e dos preços de transação por todos os inquiridos no setor comércio/serviços. 90% do setor hoteleiro esperam este crescimento, e 80% do segmento residencial. As taxas de rentabilidade vão manter-se estáveis de uma forma geral, podendo descer no caso do residencial.