Lucros da Sonae Sierra descem 39% para €110M

Ana Tavares |
Lucros da Sonae Sierra descem 39% para €110M

 

Segundo a empresa, o decréscimo explica-se com o «menor valor criado nas propriedades de investimento». Ao mesmo tempo, o EBIT atingiu os 105 milhões de euros, mais 8,5% que no período homólogo, e o resultado direto os 65 milhões de euros, mais 14%, reflexo de um aumento do volume de negócios e margens na atividade de prestação de serviços da empresa.

Já o resultado indireto atingiu os 45 milhões de euros, menos 79 milhões de euros face ao ano anterior, o que a Sonae Sierra explica «sobretudo com a diminuição do valor criado nas propriedades de investimento (menor compressão das taxas de capitalização em Portugal e Espanha em 2017), com a diminuição dos ganhos realizados com vendas de propriedades e, além disso, o exercício de 2016 beneficiou com o impacto favorável da abertura do ParkLake, em Bucareste, na Roménia».

As vendas dos lojistas da Sonae Sierra registaram um crescimento de 7,8% na Europa, face ao ano anterior. Em Portugal e Espanha, as vendas subiram 5,6% e 10,8%, respetivamente. No Brasil, as vendas cresceram 6,8%. As rendas do portfólio subiram 7,6% a nível global, 8,4% na Europa e 4,9% no Brasil.

A taxa de ocupação global do portfólio da empresa caiu 0,6% para os 96%, mantendo-se estável nos 97,1% na Europa. Subiu para os 99,1% em Portugal e para os 94,4% em Espanha, caindo para os 92,5% no Brasil.

Para Fernando Guedes de Oliveira, CEO da Sonae Sierra, «2017 foi um ano muito positivo para a Sonae Sierra, quer em termos operacionais, quer em termos financeiros. Além disso, aumentámos a nossa exposição ao desenvolvimento de projetos e ampliámos a escala e a abrangência geográfica dos nossos serviços».

 

Empresa segue ativamente estratégia de reciclagem de capital

Em 2017 a Sonae Sierra levou a cabo várias aquisições e alienações de ativos, por exemplo através do Iberia Coop, no qual detém uma participação de 10%, que adquiriu 100% do Albufeira Retail Park. Através da socimi Ores, veículo de investimento criado em parceria com o Bankinter, adquiriu 16 propriedades de investimento, 9 em Espanha e 7 em Portugal.

Estabeleceu ainda parceria com a AXA IM para a compra do Área Sur Shopping Centre, em Espanha, ou com a Ocidental, para compra do MaiaShopping e do GuimarãeShopping ao Sierra Fund. Este, por seu turno, vendeu o AlbufeiraShopping e o C. C. Continente de Portimão à Square AM.