Lisboa é uma das principais cidades para start-ups na Europa

Ana Tavares |
Lisboa é uma das principais cidades para start-ups na Europa

Esta lista foi elaborada no estudo Understanding European Technology Clusters, da CBRE, que destaca o crescimento deste setor e analisa as caraterísticas dos clusters tecnológicos e explora as futuras oportunidades das cidades tecnológicas e emergentes na Europa.

Londres lidera as 35 cidades contempladas pelo estudo, seguida por Paris, Berlim, Munique e Madrid. Em 6º lugar surge Dublin, em 7º Budapeste, e em 8º Bucareste, com Istambul e Tel Aviv a encerrar o top 10.  Entre as cidades emergentes, que registam o ritmo de crescimento mais rápido, incluem-se Bucareste, Budapeste e Istambul.

Este novo relatório evidencia que a taxa de crescimento do emprego no setor tecnológico ultrapassou a taxa de crescimento de emprego sedeado em escritório nos últimos anos, uma tendência que se deverá manter nos próximos tempos. Por outro lado, a promoção de contratos de leasing feito por empresas tecnológicas tem aumentado constantemente, partindo de menos de 10% em 2009 para 16% em 2016, ultrapassando a quota do setor da banca e financeiro.

Richard Holberton, Diretor Sénior de Research da CBRE, comenta que «Londres e Paris são as cidades tecnológicas líderes da Europa. Beneficiam de uma grande procura e de uma grande variedade de ocupantes, tanto em termos de tipologias como de dimensão». No entanto, destaca, «o nosso estudo mostra que existe um vasto leque de cidades tecnológicas atrativas. Hamburgo, Sófia e Varsóvia são hubs tecnológicos cada vez mais relevantes na Europa. Colónia, Turim e Utrecht continuam a registar grandes concentrações de emprego neste setor, enquanto Lyon e Zurique deverão assistir a um crescimento mais expressivo da taxa de emprego tecnológico, comparativamente com outras cidades de maior dimensão», prevê.