Já são conhecidos os vencedores do Prémio Nacional de Reabilitação Urbana

Ana Tavares |
Já são conhecidos os vencedores do Prémio Nacional de Reabilitação Urbana

Lisboa distinguiu-se com a atribuição da Melhor Intervenção de Uso Residencial ao Edifício Rua Rodrigo da Fonseca 45-49, promovido pelo fundo Imoimperial. A Melhor Intervenção na cidade anfitriã do prémio foi o edifício 8 Building, da Habitat Invest.

No Porto foi distinguido o Centro Corporativo da Santa Casa da Misericórdia do Porto, na categoria de Melhor Intervenção de Uso Comercial & Serviços, e em Melgaço o Agroturismo Melgaço, da Melgaço Alvarinho Houses, na categoria de Melhor Intervenção de Uso Turístico. A Melhor Intervenção de Impacto Social foi atribuída ao projeto das Estufas Tropicais do Jardim Botânico da Universidade de Coimbra.

Foi também atribuída a Menção Honrosa com menos de 1.000m² (ex-aequo) à Recuperação das Instalações da Sociedade Cerâmica Antiga de Coimbra, que tem como dono de obra a Sociedade Cerâmica Antiga de Coimbra, e ao projeto Sotheby’s International Realty no Carvoeiro (Lagoa). A Menção Honrosa para a Melhor Solução de Eficiência Energética foi para o Edifício Padaria, no Porto, da MCMF Imobiliária, e a Melhor Intervenção de Restauro para a Recuperação do Convento e Igreja de S. Francisco e Novo Núcleo Museológico, em Évora, promovida pela Fábrica da Igreja Paroquial de S. Pedro.

Os projetos foram eleitos por um júri independente composto por João Duque, Nuno Valentim, João Pedro Falcão de Campos, Manuel Reis Campos e João Appleton. Este ano, o Prémio Nacional de Reabilitação Urbana recebeu um número recorde de candidaturas, com 81 candidaturas aprovadas, oriundas de 22 concelhos de Portugal Continental e das Regiões Autónomas.

António Gil Machado, diretor da VI, que coorganiza o evento, comenta que «congratulamos, em primeiro lugar, os vencedores desta edição, com projetos de grande qualidade. Mas temos também uma enorme satisfação em dar os parabéns a todas as intervenções que se candidataram, de mais de 20 concelhos, das mais diferentes tipologias e de uma grande diversidade de atores, desde autarquias, ao mundo social, arquitetos ou promotores imobiliários». Completa ainda que «ficamos igualmente reconhecidos pela candidatura do maior e mais lustroso edifício ou pela intervenção mais singela de uma habitação ou de uma loja. Todos são importantes, essenciais para ilustrar o que é a dinâmica do centro das nossas cidades – diversa e vibrante!».

Esta cerimónia teve lugar no antigo Museu dos Coches, em Belém, contando com a presença de cerca de 300 convidados no evento que conta com o Alto Patrocínio do Governo de Portugal, concedido através da Direção Geral do Património Cultural, entidade tutelada pelo Ministério da Cultura. A iniciativa é da Vida Imobiliária e da Promevi, à qual a Secil se associa este ano de forma alargada, reunindo anda um vasto apoio do setor empresarial, institucional e da sociedade civil. É já considerado o mais importante galardão da área da reabilitação urbana e requalificação dos territórios em Portugal.

A iniciativa conta também com os patrocínios platina da Schmitt+Sohn Elevadores e da Aguirre Newman. Nos patrocínios ouro, renovam o apoio a Revigrés e a Sanitana, juntando-se à nova edição a SRS Advogados. O IMPIC, a CPCI, a Ordem dos Arquitectos, a União das Misericórdias Portuguesas, a APPII e a ALP renovam também o seu apoio institucional ao evento, que conta com o Idealista como portal oficial.  

Mais informações sobre o Prémio Nacional de Reabilitação Urbana podem ser encontradas aqui.