Investimento em Vistos Gold regista nova quebra

Fernanda Cerqueira |
Investimento em Vistos Gold regista nova quebra

Depois dos resultados de abril, em maio verificou-se a segunda quebra acentuada no investimento resultante da Autorização de Residência para a atividade de Investimento (ARI), mais conhecido por Vistos Gold. De acordo com os números do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), no mês de maio o investimento cifrou-se nos 45,8 milhões de euros, o que representa uma queda na ordem dos 52,2% face a igual mês de 2016 e menos 41,2% face a abril deste ano quando o montante captado situou-se nos 78.069.068 euros.

Do total do investimento angariado em maio, a maioria continua a ser proveniente da compra de bens imóveis (44,8 milhões), enquanto a transferência de capital ascendeu a pouco mais de um milhão de euros.

Maunel Reis Campos, presidente da CPCI, considera este resultado «preocupante, uma vez que, depois de um excelente primeiro trimestre, com um valor médio de investimento que se situou nos 144 milhões de euros, somos confrontados com dois meses, cuja média é de 62 milhões, ou seja, menos de metade», nota em comunicado.

A confederação questiona se esta realidade se deve a atrasos burocráticos, «cuja rápida resolução se impõe ou à perda efetiva de investidores para outros países». Considera que «este programa tem de continuar a ser encarado como uma importante mais-valia para Portugal e é imprescindível dar a conhecer as alterações recentemente introduzidas pelo Governo que, ao criar uma "Linha Verde para o investimento" e ao tratar os pedidos como processos prioritários, pode reorientar os potenciais investidores para o nosso país», pode ainda ler-se.