Investimento em construção regista o maior aumento desde 2002

Fernanda Cerqueira |
Investimento em construção regista o maior aumento desde 2002

Os números são avançados pela Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário – CPCI que, de acordo com as contas nacionais trimestrais do INE, evidencia o impacto do investimento em construção no crescimento de 2,8% registado no PIB. Em comunicado, a Confederação assinala que a construção «representa 50,5% do investimento total da economia».

O destaque para a variação positiva de 8,5% verificada no primeiro trimestre de 2017 face ao mesmo período de 2016 e o crescimento de 5%, comparativamente ao trimestre anterior. Números animadores acompanhados pela criação líquida de 23.045 postos de trabalho só no primeiro trimestre do ano.

A CPCI considera que estes números refletem não só a estabilização da atividade, mas também a dinâmica do imobiliário nacional e a crescente captação de investimento privado.

Para Reis Campos, Presidente CPCI, «este é um momento que tem de ser aproveitado para consolidar o tecido empresarial e a criação de emprego». O presidente da CPCI destaca também a necessidade de «dinamizar os domínios estratégicos» designadamente a reabilitação urbana, o investimento estrangeiro em imobiliário nacional e o investimento empresarial. Reis Campos assinala também a importância de reforçar o investimento público que «continua a níveis historicamente reduzidos».

Para o responsável são «passos decisivos» a criação e implementação dos mecanismos de apoio ao financiamento, nomeadamente o Programa ‘Casa Eficiente’, o correto aproveitamento do Portugal 2020 e dos restantes fundos europeus, tais como o Plano Juncker e o Mecanismo Interligar Europa. E ainda garantir a eficácia do Programa dos Vistos Gold e do Regime de Tributação de Residentes Não Habituais.