Iberian Real Estate Summit reúne mais de 150 investidores imobiliários em Londres

Ana Tavares |
Iberian Real Estate Summit reúne mais de 150 investidores imobiliários em Londres

 

O evento reuniu alguns dos principais players do investimento imobiliário a nível global, que se reuniram no Hyatt Regency – The Churchill para analisar e debater as oportunidades do mercado ibérico.

A iniciativa foi, segundo a organização, «um sucesso, voltou a captar a atenção de alguns dos principais agentes do setor», assumindo-se como um dos encontros mais importantes para o setor imobiliário. Destaque para a presença de empresas como a a CBRE GI, DWS Group, TH Real Estate, Corestate Capital Group, Grosvenor Europe, PGGM Investment, Savills Investment Management, ING, Fitch Ratings, EY, Real Capital Analytics, ASG Iberia Advisors, Square Asset Management, Cushman & Wakefield, Savills Aguirre Newman, SAREB e a EPRA.

Miguel Ferré, vice-president of Global Corporation Center de IE & Fundación EY, e Senior Advisor da EY, considera que «quer Espanha, quer Portugal saíram reforçados da crise. Muitas estruturas foram abaladas», reconhece, mas fala também de «países mais competitivos e com claros sinais de crescimento». No mesmo sentido, também Paulo Núncio, consultor da Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados, considera que «todos acreditam, neste momento, mais no potencial de Portugal e Espanha». E acrescenta que «o setor imobiliário, em Portugal, atravessa um otimo momento e continuará a crescer, com novos investimentos e dinâmicas de expansão».

 

«Os investidores investem em cidades e não em países»

 

Marta Cladera, Head of Iberia da TH Real Estate, considera que, atualmente, «os investidores investem em cidades e não em países», estando Madrid, Barcelona e Lisboa especialmente no mapa.

Tom Leahy, senior Diretor, EMEA Analytics, Real Capital Analytis, reconhece que «Madrid é a capital mais atrativa», mas fala em «novas localizações em afirmação». Andrew Angeli, Head of Research Europe da CBRE GI, destacou durante a sua intervenção a cidade do Porto. Pedro Coelho, Chairman da SQUARE Asset Manangement, confirma que «há muitas empresas a olhar para o Porto», dando o exemplo do BNP Paribas que se instalaou recentemente na cidade.

Por seu turno, Richard Betts, diretor da PropertyEU, destacou que «o mercado ibérico representa hoje uma oportunidade de investimento único». E Angeli completa ainda que «Portugal é um mercado pequeno, e isso é um facto. Mas o ambiente macroeconómico está a melhorar, o turismo cresce de dia para dia e a qualidade de vida é ótima».

 

Os setores mais atrativos

 

O Iberian Real Estate Summit incluiu ainda um Networking Lunch, com a participação de Daniel Gálvez, Head of Capital Markets e Executive Director da CBRE Espanha como keynote speaker. Segundo este especialista, fazem parte dos ativos mais atrativos do mercado imobiliário ibérico «centros comerciais urbanos, dominantes e com fortes performances», bem como o mercado de arrendamento residencial, além da hotelaria, «nomeadamente hotéis de 3 a 4 estrelas em zonas urbanas chave ou serviced apartments». No que diz respeito aos setores alternativos, destaca as residências sénior ou de estudantes, além dos escritórios «nas melhores localizações de Madrid, Barcelona e Lisboa».