Foco do investimento residencial está no eixo Chiado-Príncipe Real

Ana Tavares |
Foco do investimento residencial está no eixo Chiado-Príncipe Real

Os números avançados no SIR – Reabilitação Urbana, agora divulgado pela Confidencial Imobiliário, mostram que foram investidos 250,3 milhões de euros em 2016 no segmento residencial no centro histórico da capital. 28% deste montante diz respeito ao eixo dos bairros de São Paulo, Santos, 24 de Julho e Bica, cerca de 71,2 milhões de euros. Alfama, Mouraria e Sé concentraram 29,9 milhões de euros, 12% do total investido, e a Baixa Pombalina 12% do total, num total de 23 milhões de euros. Avenida da Liberdade, Barata Salgueiro e Glória representam 9%, cerca de 22,4 milhões de euros.

De acordo com a Ci, o bairro de São Paulo tem os preços de venda médios mais elevados do centro histórico, de 5.653 euros/m². Já no segmento de luxo, as casas mais caras foram vendidas na Avenida da Liberdade e no Chiado, acima dos 11.000 e 10.000 euros/m², respetivamente.

Perante estes resultados, Ricardo Guimarães, diretor da Ci, aponta que «a dinamização de valorização do Centro Histórico é muito diversificada localmente, sendo possível verificar níveis de preços muito distintos bairro a bairro e gama a gama». Nesse sentido, destaca «alguns setores tradicionalmente mais caros, como o Chiado ou a avenida da Liberdade, mas observamos atualmente ao emergir de outros bairros com menor tradição neste posicionamento, como é o caso de São Paulo».