Falta diferenciação entre as empresas de gestão de imóveis

Susana Correia |
Falta diferenciação entre as empresas de gestão de imóveis

No que respeita aos serviços prestados na gestão de imóveis, fatores como a limpeza, o bom funcionamento do ar condicionado, a rapidez na resposta a um pedido de assistência técnica, o estado geral de manutenção do imóvel e a empatia com o interlocutor da gestão são os mais importantes para a maioria dos ocupantes. Mas, para os proprietários são outros os aspetos que se impõem, nomeadamente o rigor financeiro, o cumprimento de prazos, a rapidez na resposta, a experiência da equipa, empatia do interlocutor e boa relação com ocupantes.

Esta informação foi auferida pela B.Prime através de um inquérito realizado com o objetivo de auferir o grau de satisfação dos proprietários e inquilinos para com as empresas prestadoras de serviços de gestão de imóveis  em Portugal, área de negócio que a empresa lançou em 2016.

Para o managing partner da consultora, Jorge Bota, “foi muito interessante realizar este inquérito e apurar quais são as reais preocupações dos proprietários e dos utilizadores relativamente a um imóvel de escritórios. Cruzando as visões de um lado e do outro conseguimos ter um panorama com linhas muito concretas do que deverá ser um serviço de gestão de qualidade. Só desta forma uma empresa que presta serviços de gestão pode fazer a diferença e antecipar problemas ao proprietário, ao mesmo tempo que garante uma elevada taxa de retenção e satisfação dos inquilinos, que se traduz numa solução mais económica para ambas as partes”. Assim, continua, as tendências observadas no tratamento destes inquéritos “serão certamente tidas em conta na nossa estratégia, para conseguirmos oferecer serviços diferenciadores que tanto proprietários como inquilinos necessitam”.

No entender da responsável pelo novo departamento de Asset & Property Management da B.Prime, Fátima Machado, “este inquérito permitiu-nos confirmar e esclarecer alguns dos fatores críticos de sucesso na gestão imobiliária e a reorientar a nossa abordagem por forma a dar resposta àquilo que é realmente importante para o cliente e que nem sempre corresponde ao que assumimos por defeito. Com certeza que este estudo é generalista e que cada imóvel é um universo único, a ser analisado em detalhe para uma resposta efetiva e de valor.”

Foto: Joaquim Manços