Escritórios registam a maior ocupação desde 2009

Ana Tavares |
Escritórios registam a maior ocupação desde 2009

 

Em 2017, o take up total do mercado foi de 165.152 m², mais 15% que no ano anterior. Segundo os números agora divulgados pela Worx, a zona mais dinâmica do mercado foi a Zona 6, com 41.886 m² colocados no total do ano, 25% do total colocado no ano. Seguiu-se a Zona 7, com 36.033 m² colocados, e a Zona 1, com 35.063 m².

A grande procura também ultrapassou o valor de absorção médio observado nos últimos 8 anos, de 112.946 m², evidenciando ainda mais a escassez de novo produto. O Parque das Nações é a zona com a taxa de disponibilidade mais baixa, de 2,8%, correspondentes a 10.210 m².

Segundo a consultora, a necessidade urgente de entrada de nova oferta de escritórios no mercado «permite antever uma das tendências de desenvolvimento para o ano 2018, em que a promoção de oferta de escritórios constitui uma oportunidade de investimento muito interessante para os players internacionais e nacionais», pode ler-se em comunicado.

Pedro Salema Garção, Head of Agency da Worx, explica que «para 2018 prevê-se ainda um cenário semelhante ao de 2016 e 2017, com uma escassez de oferta nova, que pode condicionar o número de transações, mas com os valores de yield a entrarem em terreno estável».

E nota que «efetivamente existe pouca oferta para ocupação imediata, para empresas que procurem grandes áreas. O corredor Oeste registou a melhor performance dos últimos 7 anos, revelando ter sido o destino de eleição para empresas com requisitos de áreas médias maiores e bons acessos à capital».