Empresa da Lone Star gere imóveis do Novo Banco

Ana Tavares |
Empresa da Lone Star gere imóveis do Novo Banco

 

São cerca de 9.000 imóveis, segundo o Público, que passam agora para a gestão da americana com sede em Dallas. O contrato de gestão prevê que este património se mantenha registado no balanço do Novo Banco, e que passe a ser gerido e rentabilizado pelo veículo, para sua posterior venda.

O Novo Banco esclarece que «na sequência da aquisição do Novo Banco a Lone Star contratou a Hudson Advisers para monitorizar e apoiar o plano de recuperação do banco», e que o contrato em causa proíbe «a possibilidade de transacções entre as empresas Lone Star e o Grupo Novo Banco» exceto contratos «até um valor máximo de 7,5 milhões de euros».

Pela eventual venda posterior destes ativos acima dos valores registados em balanço, a Hudson terá de cobrar uma percentagem ao Novo Banco, uma forma de a Lone Star recuperar parte do investimento no banco quando assumiu o seu controlo.

Os ativos em causa incluem alguns considerados problemáticos, por serem considerados difíceis de rentabilizar ou vender, que já justificaram o registo de imparidades que resultaram em perdas para o banco, compensadas com dinheiro público. Outros terão mais potencial, como o edifício sede do Novo Banco, na esquina da Avenida da Liberdade com a Rua Barata Salgueiro, em Lisboa, avaliado em 40 milhões de euros, segundo a mesma fonte.