Crescimento da hotelaria em Lisboa e Porto sem paralelo na Europa

Ana Tavares |
Crescimento da hotelaria em Lisboa e Porto sem paralelo na Europa

 

A expetativa da consultora é que, no final de 2017, o RevPar de Lisboa e do Porto cresça, respetivamente, 13% e 15%, até porque «o desempenho da ocupação não é novo, acomodando de forma confortável o já visível aumento da oferta nas duas cidades (mais 600 quartos só em 2017», pode ler-se em comunicado de imprensa.

É expectável um bom desempenho dos preços nos próximos tempos, e os máximos registados em alguns meses deste ano superaram os cenários mais otimistas, como os 100 euros de RevPar de Lisboa em maio, ou os 85 euros do Porto em junho. Gustavo Castro, Research da Colliers, acredita que «não se espera que o turismo português venha a estagnar no futuro próximo».

Até 2020, as duas cidades deverão contar com mais de 4.000 novos quartos. Gustavo Castro aponta como desafios «do ponto de vista operacional, continuar a acomodar o aumento da oferta, com o crescimento de preços e ocupação, da forma excelente que tem vindo a ser feita; do ponto de vista estratégico, identificar o momento certo em que a rentabilidade anual de uma bem-sucedida atividade económica deixa de suplantar os benefícios inerentes a um potencial encaixe inerente à alienação do ativo».