Concurso público para a Empreitada do Bolhão já tem 8 concorrentes selecionados

Fernanda Cerqueira |
Concurso público para a Empreitada do Bolhão já tem 8 concorrentes selecionados

A Domingos da Silva Teixeira, S.A. e Cari Construtores, S.A.; a Casais - Engenharia e Construção, S.A.; a Ferrovial Agroman, S.A.; a Conduril -Engenharia, S.A. e MRG - Construction S.A.; a Alexandre Barbosa Borges, S.A., Nicolau de Macedo, S.A. e Bragalux - Montagens Eléctricas, S.A.; a Teixeira Duarte - Engenharia e Construções, S.A.; a Alberto Couto Alves, S.A. e Lúcio da Silva Azevedo & Filhos, S.A.; a HCT - Construções, S.A. e Ferreira - Construção, S.A. são as oito empresas selecionadas pelo júri do concurso público internacional para o ‘Restauro e Modernização do Mercado do Bolhão’, uma obra com um preço-base de 25 milhões de euros e um prazo de execução de 720 dias.

Os oito concorrentes apurados «reúnem todos os requisitos técnicos e financeiros exigidos» assinala a empresa municipal GOP - Gestão e Obras Públicas, citada pelo Porto.pt. O concurso avança agora para uma nova fase, com a apresentação das propostas dos vários concorrentes.

Câmara do Porto adia para depois de setembro início das obras no Bolhão

No mesmo comunicado, a GOP faz saber que «o procedimento sofreu, nesta primeira fase, alguns atrasos» face à calendarização inicialmente prevista, razão pela qual «não é previsível» que as obras de restauro do Mercado do Bolhão comecem em setembro. A autarquia estima que o concurso possa sofrer «um atraso final de aproximadamente três meses».

O concurso lançado em dezembro de 2016 foi prorrogado no final do mês de janeiro até fevereiro, a par disso a GOP assinala a «complexidade das regras da contratação pública» e as «sucessivas reclamações entre concorrentes». Um conjunto de fatores que provocaram o atraso no cumprimento dos prazos.

Entretanto, a autarquia fez saber ainda que a primeira candidatura a fundos comunitários do Portugal 2020 para o restauro e modernização do Mercado do Bolhão já foi aprovada. O valor da comparticipação aprovada nesta fase, no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano do Porto (PEDU), é de 1.566.263,27 euros.

Foi também concluída a empreitada de desvio de uma linha de água subterrânea, na Rua de Fernandes Tomás e está em curso a empreitada do mercado temporário do Bolhão, no Centro Comercial La Vie.