Ci assina protocolo com a CMP para monitorização de transações imobiliárias

Fernanda Cerqueira |
Ci assina protocolo com a CMP para monitorização de transações imobiliárias

Alavancada pelo movimento de reabilitação urbana e pelo crescimento do turismo, a valorização do mercado imobiliário do Centro Histórico do Porto «estende-se cada vez mais pelo que se pode conceber de uma Baixa alargada, de Cedofeita a Santo Ildefonso e Bonfim», referiu Ricardo Guimarães, Diretor da Confidencial Imobiliário, durante a sessão de lançamento do novo projeto de monitorização estatística das transações imobiliárias nas Áreas de Reabilitação Urbana do Porto, que decorreu nos Paços do Concelho, na Câmara Municipal do Porto.

Através deste novo protocolo de cooperação, ao Centro Histórico do Porto juntam-se agora as Áreas de Reabilitação Urbana dos Aliados, Bonfim, Cedofeita, Miragaia, Lapa, Santos Pousada e Campanhã-Estação, «num projeto de dados estatísticos sobre preços e investimento, bairro a bairro». São novos eixos, ao longo dos quais «o Porto renova-se assumindo vocações complementares às do Centro Histórico», referiu Ricardo Guimarães.

«Este é um dia histórico», disse Ricardo Valente, vereador da Câmara Municipal do Porto, «criamos o primeiro passo para ter um sistema de informação extremamente importante para agentes nacionais e internacionais». Também Rui Moreira, presidente da Câmara Municipal do Porto, sublinhou a importância deste protocolo, «uma estratégia muito importante», um apoio essencial ao poder público «a quem cabe corrigir as falhas de mercado». «Não havia mercado há alguns anos, mas agora há» referiu, sublinhando que «não impedimos o mercado de funcionar, mas estamos aqui para o corrigir» porque «a Câmara deve ter um papel ativo».

«Bom mercado valoriza a cidade», sublinhou Rui Moreira 

Com efeito, o crescimento assinalado por Rui Moreira é evidenciado pelos números da Confidencial Imobiliário, de acordo com a qual «em 2016, foram transacionados 513 imóveis no Centro Histórico do Porto, num total de 154 milhões de euros, um volume que apresenta um crescimento de 64% face ao investimento registado no ano anterior».

Este protocolo não é pioneiro, a Câmara Municipal de Lisboa foi a primeira autarquia a aceder a esta informação. Em finais de 2014, um protocolo do género foi celebrado com a Porto Vivo – Sociedade de Reabilitação Urbana da Baixa Portuense, no âmbito do qual foi lançada uma operação sistemática de produção estatística relativa à Área de Reabilitação Urbana do Centro Histórico do Porto apresentando o Índice de Preços do Centro Histórico do Porto.

Num momento em que a dinâmica do Centro Histórico do Porto se consolidou e novas Áreas de Reabilitação Urbana se afirmam, evidenciado não só através do número de transações mas também do número de novos licenciamentos, a Câmara Municipal do Porto reconheceu a importância de expandir este Índice de dados às demais Áreas de Reabilitação Urbana da cidade.

A Confidencial Imobiliário, um databank, é a única fonte em Portugal com dados estatísticos sobre preços de transação e contratos de arrendamento de imóveis residenciais.