Centro Hípico do Porto dá lugar a projeto residencial para a classe média

Susana Correia |
Centro Hípico do Porto dá lugar a projeto residencial para a classe média

A informação foi revelada à VI por Hélder Vasconcelos, responsável da Finangeste, a entidade que, em conjunto com uma firma Irlandesa, comprou ao Sport Clube do Porto aquele lote no centro da cidade.

Localizado junto ás ruas Silva Porto, São Dinis e 9 de abril, o terreno foi adquirido recentemente e ali se vai desenvolver um projeto com cerca de 24.000 m² destinados a uso residencial. Como explicou à VI o responsável da Finangeste, este novo projeto foca-se numa oferta de «habitação para a classe média portuense, que neste momento tem uma oferta muito limitada de produto novo na cidade».

Sustentando esta aposta, o responsável lembra que «há uma grande vontade para viver e voltar à cidade do Porto, mas não existe oferta suficiente voltada para a classe média portuguesa, jovens ativos ou profissionais liberais. A nova oferta que tem sido lançada nos últimos tempos é vocacionada sobretudo para a classe alta ou para o turismo e, como tal, é excessivamente cara para aquela franja da população». Sublinhando o atual «desequilíbrio entre a escassez de oferta direcionada para o segmento médio e a elevada procura para este tipo de produto», Hélder Vasconcelos revela que só na zona das Antas, adjacente à localização daquele lote, «foi identificada, por um conjunto de mediadores que operam naquela área, uma insuficiência de mais de 1.000 apartamentos, que teriam colocação imediata».

O negócio com a Finangeste surgiu pela necessidade de crescimento do Centro Hípico do Porto, já que o «o antigo espaço já tinha limitações para organizar provas hípicas  internacionais», comenta ainda a mesma fonte. Por isso, e na sequência de um acordo estabelecido com a Santa Casa da Misericórdia do Porto, o Centro Hípico do Sport Club do Porto já transferiu grande parte da sua operação para o antigo parque de campismo da Prelada, «um espaço com qualidade, arborizado e com a possibilidade de uma expansão grande, cumprindo os mínimos das áreas para atividade competitiva de cavalos».

Um dos mais ativos investidores no mercado imobiliário português, onde tem uma presença muito ativa nas áreas de NPL’s, Corporate Single Names e na aquisição de portfólios da banca ou seguradoras de dimensão superior a 50 milhões de euros, a Finangeste tem atualmente sob gestão cerca de 600 milhões de euros em ativos. Com uma estratégia assente na criação de valor aos ativos adquiridos, que depois volta a recolocar no mercado, a empresa tem ainda mais de 700 ativos para venda no mercado português, estando bastante otimista na evolução da atividade ao longo deste ano.