Broadway Malyan assina projeto World of Wine

Ana Tavares |
Broadway Malyan assina projeto World of Wine

Celebrando a história do Vinho do Porto, o World of Wine vai transformar e recuperar os antigos armazéns da Fladgate no centro histórico de Gaia numa atração turística a nível mundial, e deverá atrair mais de 1 milhão de visitantes todos os anos. Vai incorporar 5 núcleos distintos, nomeadamente a Wine Experience, a Cork Experience, Porto Through the Ages, o Fashion & Design Museum e a History of Drinking Vessels, contando com 12 espaços para restauração, lojas, espaço expositivo, nova praça pública e estacionamento para 150 viaturas.

Para Margarida Caldeira, que dirige o estúdio de Lisboa da Broadway Malyan, «Vila Nova de Gaia é sinónimo da indústria do Vinho do Porto e tem centenas de armazéns, desde unidades com 200 anos até algumas mais recentes já do século XX, que foram praticamente construídas umas sobre as outras numa encosta junto ao rio e ligadas entre si por ruas estreitas». Explica que «os desafios desta localização fizeram com que muita da atividade industrial saísse da zona, deixando muitos destes armazéns vazios. O nosso cliente continua ativo nesta atividade e este conceito ambicioso pretende precisamente celebrar a história da indústria ao mesmo tempo que criará uma âncora turística que beneficiará toda a cidade, atraindo novos visitantes e estimulando mais investimento».

A nível do projeto, Margarida Caldeira destaca que «a vista desta zona é algo de extraordinário e, por isso, houve um esforço a nível do projeto arquitetónico para assegurar que isso seja celebrado sempre que possível, quer a partir dos edifícios quer a partir da praça pública». Por outro lado, «muitos dos edifícios existentes, que são estruturas retangulares compridas que vão permitir ter uma sensação muito especial do espaço, serão completamente renovados, com a reposição de estruturas em madeira originais e a recuperação da alvenaria original em granito».

«Noutros edifícios nos quais a estrutura central tem menor qualidade, iremos manter apenas as fachadas, e o projeto contemplará ainda um ou dois edifícios novos, que terão uma abordagem mais contemporânea, mas que respeitarão o seu enquadramento histórico», completa ainda esta responsável.

As obras deste projeto iniciam-se no próximo ano. Em 2020 deverá abrir portas.