B. Prime acredita que aumento das rendas deverá manter-se

Ana Tavares |
B. Prime acredita que aumento das rendas deverá manter-se

 

Com base no Prime Watch, elaborado pela consultora, Jorge Bota, Managing Partner da B. Prime, explica que «existe uma taxa disponibilidade de escritórios para ocupação de 9.68%, mas que são espaços desadequados face aos requisitos da procura, por serem edifícios antigos e obsoletos. Os promotores têm apostado na reabilitação de imóveis para uso turístico e residencial, mais atrativos e com melhores retornos para já. Por isso, neste momento temos grandes empresas que escolhem outros concelhos, em detrimento de Lisboa, o que é realmente alarmante por poder quebrar a dinâmica existente».

E completa que «devido a um potencial aumento de rendas na ordem dos 20%, o mercado de investimento nacional tornou-se muito mais dinâmico atraindo um perfil muito variado de investidores que procuram oportunidades de negócio premium mas não só».

Este estudo foi apresentado pela B. Prime na Expo Real, que decorreu na semana passada em Munique. Na ocasião, a consultora notou também que 2017 será, ao que tudo indica, um novo ano recorde de investimento imobiliário no país, dada a dimensão dos portfólios que estão a ser negociados, e que poderão alcançar cerca de 2.600 milhões de euros.

As baixas taxas de juro e o potencial de aumento das rendas, na ordem dos 20%, são alguns dos motivos que tornam o nosso mercado especialmente apetecível para várias nacionalidades de investidores.