Associação Ephemera instala-se no parque empresarial da Baía do Tejo

Ana Tavares |
Associação Ephemera instala-se no parque empresarial da Baía do Tejo

 

Este acervo de Pacheco Pereira é constituído não só por livros e documentos oficiais, mas também por discos, postais, selos, autocolantes, cartazes, pins e todo o tipo de artefactos com história. Junta-se ao Vhils Studio, de Alexandre Farto, consolidando o conjunto de indústrias criativas deste parque empresarial. Jacinto Pereira, da Baía do Tejo, acredita que «o cluster criativo que estamos cada vez mais a consolidar nos Parques Empresariais Baía do Tejo, permite, não só faze-los crescer em termos de clientes, mas principalmente dar-lhes mais “alma" tornando-os, assim, mais apelativos para os clientes atuais e mais atrativos para novos clientes e para as comunidades envolventes».

Para a Baía do Tejo, esta ocupação «é mais um passo no sentido na consolidação do cluster de indústrias criativas que tem vindo a assegurar. A estratégia definida pela empresa pretende confirmar a diversificação do perfil das empresas presentes nos seus parques empresariais, juntando empresas de cariz mais tradicional, (indústria, serviços e logística) com entidades que laboram nas áreas mais criativas e do conhecimento».