Congresso Nacional de Hotelaria recebe 700 pessoas em Luanda

Ana Tavares |
Congresso Nacional de Hotelaria recebe 700 pessoas em Luanda

Segundo o Jornal de Angola, o evento incluiu cerca de 20 painéis e mesas redondas que convidaram várias personalidades nacionais e estrangeiras em torno do mercado turístico do país. Temas como a gestão de recursos humanos, custos, promoção e marketing, abastecimento, serviços ou receção estiveram na agenda da conferência.

Na ocasião, Manuel Nunes Júnior, ministro de Estado para a Coordenação Económica, declarou que o Governo quer alavancar a indústria do turismo no sentido de diversificar a economia e criar mais emprego. O turismo representa atualmente 10% do emprego em Angola. Para que seja impulsionado, devem ser feitos novos esforços entre o Estado e o sector privado. Cabe ao Governo, segundo o responsável, criar mecanismos institucionais para evitar constrangimentos de ordem estrutural ou burocrática, bem como infra-estruturas, redes de serviços e legislação adequada, cita o Jornal de Angola.

 

Fraca ocupação leva vários hotéis e resorts a fechar em Angola

Um dos principais temas falados neste congresso foi a descida das taxas de ocupação no país, que têm levado ao fecho de muitas unidades hoteleiras.

Ramiro Barreira, secretário-geral da AHRA, comentou na ocasião que «trouxemos também para o debate as causas que têm levado a termos maior constrangimento neste momento e que provoca uma brutal, para não dizermos dramática, baixa de taxas de ocupação e que tem estado a levar à falência muitas das nossas unidades hoteleiras», cita a Lusa. As condições dos acessos rodoviários no país também são outro dos constrangimentos apontados.

O responsável alertou para a importância da concessão de crédito para relançar o sector hoteleiro. «Pedimos também que continuemos de mãos dadas com o executivo para encontrarmos as melhores plataformas que visem, a breve trecho, pôr Angola no caminho certo do desenvolvimento e do crescimento económico».

Apesar de um contexto difícil, afirma que os operadores hoteleiros sentem alguma retoma da economia e uma «melhoria considerável» das taxas de ocupação, sobretudo em Luanda, onde se tem registado um aumento da ocupação de 25% para 30% ou mesmo 60%.

 

O Congresso Nacional de Hotelaria decorreu em simultâneo com a Expohotel, também em Luanda.