Empresas

Merlin Properties termina setembro com lucro de €201,9M

Ana Tavares |
Merlin Properties termina setembro com lucro de €201,9M

A Merlin Properties encerrou os primeiros nove meses deste ano com uma faturação de 381,3 milhões de euros, um EBITDA recorrente de 277,4 milhões, lucro operacional de 201,9 milhões e um impacto contabilístico de 254,4 milhões de euros.

O valor líquido dos ativos da empresa atingiu os 7.370 milhões de euros (15,59 euros por ação), 0,8% superior ao valor do primeiro semestre do ano, «embora não tenha sido efetuada uma nova avaliação da carteira», que se realiza em junho e dezembro de cada ano.

A Merlin fechou o trimestre com um LTV de 40,1% e «excelentes rácios financeiros», e liquidez de 1.692 milhões de euros.

O negócio da Merlin registou uma melhoria da evolução das rendas comparáveis (-2,1% até setembro face aos -2,9% até junho), resultado do aumento da ocupação de 29 pontos base até 89,4%, que deverá atingir os 90% ainda até ao final deste ano.

O negócio de logística da Merlin registou um crescimento positivo de receitas like-for-like de 0,6% e um diferencial de lançamento de 3,2%. A carteira da empresa está praticamente toda ocupada.

No que toca aos centros comerciais, registou-se uma «clara recuperação das afluências», apesar de uma descida de -15,5% face a setembro de 2019, e também das vendas (-9,1% face a setembro de 2019), mantendo-se a taxa de esforço nos 12,4%. A ocupação está próxima dos níveis pré-pandemia, nos 93,8%.

A empresa registou uma redução significativa dos incentivos aos lojistas face ao trimestre anterior, mantendo «níveis ocasionais de não-pagamento, semelhantes aos obtidos antes da Covid-19», num total de 23,7 milhões de euros de bonificações até setembro.

Relativamente ao compromisso de sustentabilidade, a Merlin destaca que «continua a demonstrar o seu compromisso com a sustentabilidade, obtendo 8 novos certificados neste trimestre. O grande esforço de certificação será concluído em 2022, conforme planeado. Até à data, 97% dos centros comerciais da empresa, 89% dos seus escritórios e 86% dos seus armazéns logísticos estão certificados».