Construção

Avenue lança segundo edifício do EXEO Campus

Susana Correia |
Avenue lança segundo edifício do EXEO Campus

A informação foi veiculada pela própria empresa nas suas redes sociais, onde revela que «a construção do segundo edifício do EXEO Office Campus terá inicio ainda este mês». Com assinatura da Broadway Malyan, o Aura dispõe de 16.464 m² de escritórios distribuídos por 11 pisos. Com dois rooftops e 140 lugares de estacionamento, mais 48 lugares dedicados a bicicletas, inclui ainda 320 m² de retalho e espaços verdes abertos à comunidade.

A obra arranca cerca de seis meses após o lançamento da primeira fase do projeto, que arrancou em março e que diz respeito à execução das infraestruturas do loteamento e à construção do primeiro e maior edifício, o Lumnia, conforme avançou a VI na ocasião.

Com 30.000 m² de área bruta de construção, distribuídos por oito pisos e sete terraços, o Lumnia já começa a ganhar forma com o início das fundações, prevendo-se que fique concluído no 2º semestre de 2021. Entretanto, os novos arruamentos do EXEO já estão quase concluídos, tendo-se já também iniciado a construção dos muros dos jardins. Ao todo serão 13.000 m² de espaços verdes e praças, que irão atravessar o office campus, estando abertos à comunidade.

Com 20.787 m² de área bruta de construção, o Echo será o terceiro e o último edifício a arrancar, distribuindo-se por sete pisos acima do solo e quatro rooftops, além de dois níveis de estacionamento subterrâneo. Além dos escritórios, incluirá ainda 688 m² de comércio, 58 bike docks e 253 lugares de estacionamento.

Fruto de um investimento global na ordem dos 190 milhões de euros, dos quais 150 milhões a aplicar ao longo da primeira fase, o EXEO Office Campus será composto por três edifícios, somando 13.000 m² de jardins. 70.000 m² de escritórios, 688 lugares de estacionamento, 176 bike doks, balneários, esplanadas, espaços comerciais como minimercado, food market, coffee shop e ginásio.

Com capacidade para receber 7.000 trabalhadores e um design focado na flexibilidade, o EXEO quer redefinir o conceito dos espaços de trabalho, apostando no conceito «workplaces made for living», que fomenta «uma nova forma de trabalhar mais ágil, prática e agradável, em contacto com a natureza e as necessidades pessoais de cada edifício, através de infraestruturas on-site.

Tratando-se de um dos maiores complexos de escritórios planeados para Lisboa, a Avenue está preparada para enfrentar o inesperado impacto da pandemia no ritmo da sua comercialização. «O ritmo de vendas poderá tornar-se menos célere, mas pensamos que o mercado de escritórios vai continuar a ter uma procura elevada», como afirmou o diretor-geral, Aniceto Viegas em entrevista recente à revista Vida Imobiliária.

 

Foto: Avenue