Housers lança-se na hotelaria com o novo conceito Condo-Hotel

Ana Tavares |
Housers lança-se na hotelaria com o novo conceito Condo-Hotel

 

Em entrevista à Vida Imobiliária, João Távora, CEO da Housers Portugal, afirma que a empresa quer «ser muito mais do que uma empresa de investimento do setor da habitação/residencial tradicional» e que «dentro do próprio setor imobiliário queremos explorar outras variantes e estamos atentos às novas tendências, por isso fez todo o sentido lançar uma oportunidade com este modelo do condo-hotel».

E explica que «o modelo condo-hotel consiste num hotel em que parte ou todos os quartos pertencem a pessoas ou empresas. Cada quarto é considerado separadamente como uma unidade de condomínio e a entidade hoteleira é responsável pela sua gestão e rentabilização». Considera que «é uma oportunidade para o investidor diversificar e investir numa nova localização, mas também para entrar no setor do turismo e conseguir taxas de rentabilidade que poderão ser superiores aos rendimentos da exploração tradicional de outros imóveis disponíveis».

Na prática, com um investimento mínimo de entrada de 50 euros, o investidor adquire o imóvel em regime de condomínio, ou seja, «possui uma parte do hotel e recebe o retorno pela sua exploração. Ao contrário de um condomínio tradicional, a exploração é feita pelo próprio hotel que trata da divulgação e das reservas turísticas para cada quarto».

Numa das modalidades do investimento, «se comprar uma suite de um condo-hotel tenho direito a usufruir de todos os serviços do hotel, como o spa ou as piscinas, durante oito semanas por ano, quatro em época alta». Noutra opção, a suite pode ser «gerida pelo hotel como se fosse um quarto normal e a rentabilidade para o dono da suite vai variar em função das reservas».

 

Uma oportunidade de diversificação e de acesso ao mercado

João Távora explica que o novo conceito começou a angariar investimento em Itália: «este projeto da Housers é composto por duas rondas de financiamento - uma primeira que já foi concluída e que consistiu na cedência de um empréstimo a um promotor para a reabilitação de um castelo do século XIV, que será transformado num Condo-Hotel de luxo composto por 22 Suites. A segunda parte está agora disponível na plataforma e consiste em angariar também 550 mil euros para dar continuidade à primeira fase do projeto e para a ampliação do hotel, através da compra de um palácio medieval adjacente».

Para o responsável este produto é uma oportunidade de diversificação para o investidor. «Trata-se de um investimento imobiliário com as vantagens inerentes ao investimento em ativos tangíveis e, por outro, um investimento de natureza turística, o que tende a assegurar à partida maiores benefícios. Por si só um hotel é um ativo com liquidez, principalmente se a área em se insere se desenvolver de forma adequada e registar bons resultados».

Por outro lado, é uma forma de dar acesso aos pequenos investidores a um mercado «tipicamente associado a investidores com maior capacidade financeira».

 

Primeiros retornos rondam os 12,75%

O primeiro produto Condo-Hotel disponível na Housers teve uma taxa de juro de 12,75% a 18 meses, correspondente a 8,5% a 12 meses. Atraiu um total de 788 investidores, dos quais 104 portugueses.

João Távora explica que «os investidores que participaram neste projeto receberão todos os meses a taxa de juro acordada com o promotor até que se finalize o período de um ano, seguido da respetiva amortização do empréstimo com a devolução do capital, sem ter que esperar pela venda das suites».

A segunda ronda «consiste na cedência de um empréstimo para a compra de um antigo palácio medieval com uma área de 840 m2 para criar mais 23 suites. A rentabilidade desta segunda ronda é de 13,50% em 18 meses que corresponde a 9% anual».

A seguir a Itália, Portugal poderá ser mercado para este tipo de produto, já que «o crescimento do turismo pode indicar que há espaço para o desenvolvimento de unidades deste tipo em cidades como Lisboa, Porto ou Algarve. Portugal continua a quebrar recordes tanto no setor do imobiliário como no setor do hoteleiro o que traz grandes oportunidades para novos modelos de investimento», conclui o responsável.