Mercado de escritórios de Lisboa quebra ocupação em fevereiro

Ana Tavares |
Mercado de escritórios de Lisboa quebra ocupação em fevereiro

 

Este é o segundo mês consecutivo de descidas neste mercado, o que «não deixa margem para dúvidas e demonstra a dificuldade que o mercado irá sentir ao longo de 2019 para responder a uma procura que permanece em níveis elevados», aponta a Savills no seu mais recente relatório de análise de mercado.

Rodrigo Canas, Agency Department Director da Savills Portugal, afirma que «estes valores não são de todo surpreendentes e refletem as previsões lançadas no final do ano 2018. Encontrar soluções válidas de ocupação no timing pretendido pelas empresas será um dos maiores desafios para 2019, sem esquecer também o fato de que a escassez de oferta tem limitado muito a escolha de instalações, em termos de qualidade das mesmas». E completa salientando que «outras das tendências marcantes para 2019 serão os processos de renegociação, em resposta à falta de oferta no mercado».

Ao longo do mês de fevereiro, registaram-se 9 operações num total de 5.119 m², menos 4 que no mês homólogo. Em termos acumulados, desde janeiro, verificou-se uma descida de 34% face a igual período do ano passado a nível de volume de absorção, com o número de transações a observar também uma quebra de 32%, num total de 14.502 m² colocados.

Os negócios realizados mostram, segundo a Savills, «uma preferência por localizações centrais, providas de uma rede completa de serviços, inseridas numa envolvente completa de serviços e que possibilita para muitas empresas a ligação a outros ecossistemas empreendedores ligados à tecnologia e inovação».