JLL atua na venda do complexo Burgo à Värde

Ana Tavares |
JLL atua na venda do complexo Burgo à Värde

Situado na Avenida da Boavista, o ativo foi construído em 2007 e tem um total de 17.000 m² de ABL distribuídos por dois blocos distintos, incluindo a Torre Burgo, com 18 pisos, e o Centro Burgo, com 4 pisos, além de 260 lugares de estacionamento. Entre os atuais inquilinos estão a Ocidental Seguros, Lufthansa, Gestifute, L’Oreal, KPMG, Iberdrola, Accenture, LeasePlan, AON, Michael Page ou a Arrow Electronics, entre outros.

A transação foi anunciada em junho passado pela Värde Partners. Hugo Moreira, Managing Director da Värde para Portugal, comentou que «nos últimos anos, o Porto tem atraído a atenção de várias empresas internacionais, o que tem impulsionado o aumento da procura por escritórios na cidade. Esta operação segue a estratégia de aquisição de ativos de escritórios em Portugal em zonas com desequilíbrio entre oferta e procura, num contexto de indicadores macroeconómicos positivos».

Fernando Ferreira, Head of Capital Markets da JLL, comenta em comunicado que «pela sua dimensão e por assinalar a entrada de uma das maiores gestoras de fundos de private equity norte-americanas neste mercado, a venda do complexo Burgo é, sem dúvida, uma operação histórica para a cidade do Porto e que reflete o seu excelente momento imobiliário».

O especialista aponta que «sendo um dos principais motores de força da atual dinâmica imobiliária local, ao longo dos últimos anos, o mercado de escritórios segue em rota acelerada de crescimento, registando níveis de ocupação sem precedentes que estão a impulsionar o lançamento de nova oferta na cidade, marcada pela grande qualidade, e a subida dos valores das rendas. Tudo indica que a procura não vá abrandar, sustentando as previsões de um crescimento continuado das rendas e, como tal, fazendo deste segmento um alvo muito apetecível para os investidores com presença ibérica que procuram alternativas e yields mais competitivas face a Lisboa».

O responsável acredita que «estamos agora a assistir também a um momento de viragem no que diz respeito ao investimento imobiliário no Porto, com a entrada de grandes players internacionais que até muito recentemente praticamente não tinham presença neste mercado, onde as poucas operações de investimento em escritórios eram protagonizadas sobretudo por investidores domésticos e empresas ocupantes».