Co-working mais sustentável do país abre até ao final do ano

Ana Tavares |
Co-working mais sustentável do país abre até ao final do ano

O novo Heden Santa Apolónia terá 1.000 m² distribuídos por salas privadas, área de open space e um auditório para 120 pessoas. Workshops, palestras, cursos e atividades como yoga, massagens, meditação ou outras terapias farão parte do dia-a-dia dos utilizadores do Heden Santa Apolónia. Os preços vão variar entre os 20 e os 2.500 euros.

Este co-work soma-se ao Heden Graça e ao Heden Chiado, já abertos em Lisboa. O principal inquilino será a escola de programação internacional Iron Hack, que ocupa o espaço no próximo ano.

 Mas a grande novidade é que vai incorporar uma central fotovoltaica para autoconsumo para alimentar a grande maioria das suas necessidades energéticas. Terá também uma fachada verde bioclimática com um potencial de arrefecimento passivo que vai permitir reduzir até 30% a potencia necessária para climatização. Destaque também para o uso de materiais de construção como as madeiras nativas, bambu ou cortiça, e para o uso de iluminação LED de baixo consumo. Até porque a preocupação com a sustentabilidade ambiental está no ADN da empresa, e desde 2017 que a Heden faz parte da Coopérnico, primeira cooperativa portuguesa de energias renováveis.

Em comunicado, Laszlo Varga e Manuel Bastos, fundadores deste conceito, explicam que «mais do que uma rede de espaços de coworking, o Heden é um espaço de encontro, partilha e colaboração entre indivíduos e equipas de múltiplas nacionalidades, géneros, backgrounds, etnias e religiões, capaz de contribuir para o desenvolvimento pessoal e a integração dos seus membros em redes de colaboração e cooperação».

O espaço vai abrir ainda em novembro para eventos privados e a 1 de dezembro para empresas.