C&W instala-se no Edifício Burgo

Vanessa Sousa |
C&W instala-se no Edifício Burgo

Este edifício possui um total de 16.000 metros quadrados e ocupa o número 1837 da Avenida da Boavista, a maior da cidade. É numa superfície deste imóvel – que hoje pertence à Värde Partners – que o responsável Duarte Nuno Rodrigues e a sua equipa de 6 profissionais, que cobrem todas as áreas transacionais (investimento, escritórios, retalho, reabilitação urbana e logística) estão agora instalados.

A abertura destas novas instalações na cidade Invicta – onde já operam há 3 anos - «reflete a natural evolução e consolidação da nossa atividade e da nossa equipa, de acordo com o potencial e exigência do próprio mercado, bem como dos nossos clientes e parceiros», explica a consultora à VI.

O mercado de escritórios, de logística e de retalho na cidade do Porto têm mostrado uma trajetória positiva. Só nos primeiros 7 meses deste ano, a cidade atraiu um total de 151 milhões de euros em novos investimentos nestes setores, valor que, até ao final do ano, poderá duplicar, garante a consultora.

E são vários os fatores que explicam esta atração dos investidores internacionais pela cidade do Porto. «O ambiente competitivo é favorável ao investimento», e depois a cidade aglomera «fatores de exceção como a qualidade de vida, a segurança, o ambiente cultural e social estáveis, a mão-de-obra qualificada e competitiva, boas infraestruturas, associados a um custo de vida equilibrado e um clima Mediterrânico que têm sido determinantes para atrair investidores e empresas, nacionais e internacionais», explica a consultora.

Na perspetiva da consultora serão estes mesmos fatores que deverão manter o dinamismo do setor imobiliário na cidade apesar de se sentir «algum abrandamento da economia mundial». Isto quer dizer que «a procura ocupacional (retalho, escritórios, hotelaria, logística, residencial) face à atual escassez da oferta, irá motivar a promoção de novos projetos e de novos conceitos ajustados às novas tendências da procura». E por isso, a consultora antevê «que o mercado imobiliário, a médio prazo, continuará a apresentar boas oportunidades de investimento nas diferentes áreas».