Volume de negócios do grupo Garvetur supera os €35M

Ana Tavares |
Volume de negócios do grupo Garvetur supera os €35M

 

Os resultados foram divulgados num recente encontro com a imprensa, no Algarve, onde, segundo a empresa, «as palavras-chave que marcaram a atividade de 2017 foram a inovação, a formação dos nossos colaboradores, o reconhecimento da capacitação das mulheres na organização, a par de investimentos no mercado prime no Algarve e em Lisboa bem como a diversificação de serviços».

A Garvetur Propriedades reforçou os seus contratos exclusivos de mediação em 2017, ano em que o aumento da venda de unidades superou os 90%. Os franceses ocupam o 2º lugar a nível dos mercados da procura, composta também por suíços, suecos, americanos ou brasileiros no top 10, registando-se também procura de países como a Alemanha, Austrália, Bélgica, Holanda, Luxemburgo, Rússia, África do Sul, Angola, Bulgária, China, Espanha, Indonésia, Itália, Perú e Ucrânia. Patrícia Brito, diretora comercial da empresa, explica que «trata-se de uma nova dinâmica, a exigir estratégias específicas e inclusive alteração do paradigma de negócios, que implica sobretudo melhores serviços, para clientes informados e habituados a altos standards de qualidade».

Segundo a mesma responsável, «mais do que celebrar os resultados positivos, com um crescimento do volume de negócios da imobiliária a rondar os 50% (48%) em 2017, relativamente às propriedades vendidas no período homólogo de 2016, o que nos motiva é a capacidade da nossa organização em desenvolver estratégias que se mostram adequadas ao crescimento sustentado da nossa atividade».

No entanto, alertou que este ciclo positivo não descarta a maior atenção por parte das instituições para «a importância de o país manter fatores como o alto nível de segurança, leis fiscais favoráveis e, no caso do Algarve, maior investimento no setor da saúde, de extrema importância para o mercado sénior, assim como um reforço na promoção, para que se concretize a alta rendibilidade do investimento imobiliário e se mantenha e reforce a animação do mercado».

Reinaldo Teixeira, CEO do grupo Garvetur | Enolagest, prevê um crescimento sustentado para 2018, «possível, em função da consolidação das alterações introduzidas na gestão e objetivos das empresas, numa conjuntura positiva da economia nacional e em particular da atividade turística, cujo ciclo de investimento e serviços as nossas empresas abrangem na totalidade».