Remax regista movimento de €3.300M em 2017

Ana Tavares |
Remax regista movimento de €3.300M em 2017

 

A mediadora terminou o ano com um crescimento de 17% no volume total de transações e de 37% do volume de negócios, confirmando o bom momento do mercado imobiliário.

87% das transações da Remax dizem respeito a clientes portugueses, que representam também 83% da faturação da rede. Por outro lado, os brasileiros foram os estrangeiros que mais negociaram com a imobiliária, ultrapassando os franceses ou os chineses, que lideraram nos dois anos anteriores.

Os concelhos de Oeiras e Odivelas foram aqueles onde a quota da Remax deverá ser superior, com uma atividade de 30% e 27%, respetivamente. Lisboa, Sintra e Oeiras foram os concelhos onde a Remax registou um maior volume de transações.

Os apartamentos continuam a ser os mais procurados em Portugal, representando 63% das transações da Remax, nomeadamente habitações T2 e T3, com 43% e 31% do total. Mas, face ao ano anterior, as moradias aumentaram a sua representatividade em 1,3% para 20% das preferências.

Por outro lado, a Remax atesta que o alojamento local e as casas de luxo impulsionaram o volume das transações, num ano em que o segmento de luxo da Remax em Portugal, a Remax Collection, cresceu significativamente em termos de transações e volume de negócios.

Beatriz Rubio, CEO da Remax, explica que «conseguimos em 2017 resultados bastante positivos, que muito nos orgulham, fruto do trabalho dos mais de 7.100 colaboradores que temos hoje nas 284 agências Remax, de norte a sul do país. Resultados que advêm do trabalho, da cultura dos métodos e práticas Remax, e que nos fazem acreditar num 2018 ainda melhor».

A responsável destaca «o interesse crescente por parte de alguns investidores estrangeiros, a expansão da procura nacional em zonas suburbanas e a dinâmica do mercado imobiliário nacional, que tende a seguir uma rota ascendente, na ordem dos 20% a 30%, são indicadores bastante positivos que acreditamos, nos podem conduzir ao sucesso».