CBRE e JLL vendem terreno de 20.000m2 a investidor francês

Ana Tavares |
CBRE e JLL vendem terreno de 20.000m2 a investidor francês

 

A venda foi assegurada pela CBRE e pela JLL. O terreno pertencia até então a uma empresa portuguesa de têxteis, tendo uma instalação industrial desativada dos anos 50.

Não são conhecidos pormenores do futuro destino do terreno, mas em 2008 foi aprovado um plano de pormenor que viabiliza a construção de um empreendimento com uma área bruta de construção acima do solo de 43.500 m² para uso de escritórios, retalho, residencial e equipamento, segundo as consultoras.

A entidade vendedora foi assessorada pela sociedade de advogados SGFC-Seabra, Cunha, Marta e Associados. Vendeu agora o terreno à empresa fundada por René de Manthon e François Blanchard, especializada na reabilitação de edifícios residenciais de segmento alto em Paris, acompanhados pela sociedade VDA-Vieira de Almeida.

Miguel Gonçalves Ferreira, consultor Sénior da área de Development da CBRE, descreve esta operação como «uma transação realmente única pela escala do ativo, pelo mix de usos e pela localização, comparativamente com a maioria dos ativos que estão em comercialização no mercado. Trata-se de um projeto com enorme impacto na malha urbana da zona ribeirinha de Lisboa oriental e com capacidade para criar valor numa área até então relativamente industrializada».

Acredita que «este empreendimento vem reforçar e dar continuidade ao projeto macro de reabilitação urbana iniciado no Parque das Nações, numa ótica de longo prazo de ligar este ao centro de Lisboa».

Já para Fernando Vasco Costa, diretor do Departamento de Urban Development da JLL, «esta transação mostra a tendência do mercado para projetos de construção nova de larga escala, com usos e posicionamentos diferentes dos que foram sendo feitos nos últimos anos. Começamos a sentir, de forma mais acentuada, o crescente interesse por parte dos promotores por lotes de terreno para construção nova e o Parque das Nações continua a ser uma zona óbvia de expansão da cidade».