Angola negoceia financiamento externo, metade dele chinês

Ana Tavares |
Angola negoceia financiamento externo, metade dele chinês

 

Segundo o Observador, o Plano Anual de Endividamento para 2018, ao qual a Lusa teve acesso, o financiamento chinês deverá representar 42% o total, equivalente a 653 biliões de kwanzas, proveniente do Industrial and Commercial Bank of China. 140.000 milhões de kwanzas deverão dizer respeito ao Eximbank da China.

No documento em causa, pode ler-se que «os financiamentos em fase de enquadramento serão maioritariamente alocados para os setores da Energia e Águas, Construção e Defesa». Só a barragem de Caculo Cabaça vai contar com 160 biliões de kwanzas (cerca de 618 milhões de euros).